subscribe: Posts | Comments

Mapeando memórias

0 comments
  –  Educação patrimonial: com mapas, idosos da Vila C exploram bairro por outro ângulo. Os idosos foram convidados a trabalhar com mapas para identificar pontos importantes do bairro. Em breve, visitarão esses locais.  –

O grupo reunido no Ecomuseu reconstruindo referências através de uma leitura dos mapas da Vila C. (Fotos: JIE)

 

A equipe da Divisão de Educação Ambiental (MAPE.CD) de Itaipu promoveu, nessa terça-feira (28), no Ecomuseu, o primeiro encontro de 2017 com o grupo de idosos Bem Estar, formado por moradores da Vila C. Neste ano, a proposta é focar as ações com o grupo no próprio bairro, buscando lugares e pessoas que tenham importância para a comunidade.

Por isso, na primeira atividade do ano, os idosos foram convidados a trabalhar com mapas, identificando suas casas e outros pontos que fazem parte do seu cotidiano ou que são importantes para a história do bairro. Os mapas foram produzidos pela Divisão de Estudos da Diretoria de Coordenação (ODRE.CD).

De acordo com Enzo Maschio Figueiredo, da MAPE.CD, educador do Ecomuseu, os participantes puderam “visualizar o bairro por um novo ângulo, desenvolvendo novas percepções sobre o próprio bairro, suas paisagens naturais e as transformações ocorridas ao longo do tempo”.

A ideia é que, nos encontros futuros, os idosos possam explorar os pontos identificados no mapa. Também serão feitas imagens e gravados depoimentos para contribuir para o registro da memória da comunidade. O próximo já tem data marcada: será no dia 25 de abril, no Centro Comunitário da Vila C.

“Quando procuramos conhecer o nosso bairro, seus lugares, histórias e pessoas, também estamos aprendendo mais sobre nós mesmos. Isso cria um sentimento de pertença, uma identidade individual e coletiva ligada ao território, que amplia o nosso senso de responsabilidade com relação à transformação do ambiente e da cultura em que estamos inseridos”, explicou Enzo.

Segundo ele, também é papel do Ecomuseu, como “Museu de Território”, articular e aprofundar as relações entre o território, a comunidade e o patrimônio, a partir de programas de Educação Ambiental e de Valorização do Patrimônio Regional e Institucional.

“É o que procuramos fazer nas atividades de educação patrimonial e ambiental desenvolvidas com grupos comunitários do entorno da usina, bem como nas demais ações do Ecomuseu de Itaipu em Foz do Iguaçu e nos demais municípios da Bacia do Paraná 3”, completou.

Grupo posa em frente ao barco Quarai, embarcação histórica de Itaipu.

Sobre o grupo

O Bem Estar é um grupo de idosos que se reúne todas as terças e quintas-feiras, a partir das 8h, no Conselho Comunitário da Vila C. Lá, eles realizam atividades físicas sob a coordenação do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família.

Além desses encontros semanais, o grupo se encontra uma vez por mês com a equipe da MAPE.CD para participar de atividades educativas.

Em 2016, foram organizados dez encontros, nos quais os participantes puderam conhecer muitas das diferentes ações realizadas por Itaipu no Refúgio Biológico Bela Vista.

_____________________________
Fonte: JIE

 

 

468 ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *