subscribe: Posts | Comments

O Contador de Piadas

0 comments
  –  Um poema de Sidney Giovenazzi  –

Acordo com os pássaros

São meus pensamentos
voando desordenadamente

Voando um voo de que não canso

Durante o dia
danço na vida como um corpo sem pensamentos

Muitas vezes me vejo como um louco irresponsável
o antes-sim
ante sinais de negação

Sou amante do acaso
dependente dessa droga da pureza
e da ejaculação da filosofia jactante

Quem me excita
é o inútil

O que me apraz
é a inutilidade

Só enxergo o que se esconde

E é assim
que busco a verdade:
o fértil
na esterilidade

Barulho para mim
é o eu secreto de alguém que me avisa
sobre um cativeiro seguro

Não consigo evitar o torpor à volubilidade da aparência
e a beleza física é mesmo
a exata deformação causada pela intensidade
do interior espesso

Ou então o belo é apenas a arte –
uma cadeia de elos que torna tudo simétrico –
correntes para voar

Tudo aceito
como um preço que não se pode pagar

No interior do inapreensível
eu vejo e sinto
como se minha língua percorresse sem beijos
a morosidade do tempo escorregando como orvalho
sobre a árvore da vida
em que posso observar
a poética de um organismo
cada secreção feliz
cada bravata insípida –
toda uma singeleza infantil
como lágrimas de piada

Mas volto a mim
e adormeço

Sonhos não maravilham
um desperto que voa como vento
nas cidades e nos corpos poeirentos
sem dor
nem incômodos julgamentos
e ri
sem nenhum pudor

Há um júbilo constante no descompromisso
quando me comprometo somente à essência irritantemente bela de alguém

Acordo com os pensamentos em revoada disforme

Acordo esperando mais um dia de adoração

Assim como amo o vão
adoro as secreções infalíveis
as bravatas translúcidas
a criança de memória senil

Eu sou o contador de piadas
o anti-não
o disto voador

Acordo esperando mais um dia de adoração

e orgasmo

Sou disto tudo

o voador
_____________________________
Sidney Giovenazzi é músico e poeta em São Paulo, SP.
A imagem é reprodução de The Young Rembrandt
as Democritus the Laughing Philosopher, 
de Rembrandt

468 ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *