subscribe: Posts | Comments

leader

Escrita, a primavera

0 comments

  –  A edição 48 da revista Escrita chega à nova estação  –

 

É primavera! Setembro. E setembro é o mês de aniversário da Guatá. Aliás, diga-se de passagem, este ano estamos completando 13 anos de atuação ininterrupta em Foz do Iguaçu. Então, quando agosto findou e entrou setembro na folhinha, virou presente e festa o que ja ressoava fazia um tanto de tempo: nova edição da revista Escrita na praça e na nova estação.

A foto da capa é da Áurea Cunha, mostrando um detalhe da vida que pulsa dentro do Parque Nacional do Iguaçu. Recentemente ela produziu uma crônica visual sobre o entardecer no Parque Nacional do Iguaçu. Na edição, inclusive, publicamos o texto “O anoitecer nas Cataratas” que acompanhou a exposição daquele ensaio aqui mesmo na página eletrônica da Guatá.

Ainda sobre fotografia, reunimos trabalhos de outros profissionais. São os casos do Marcos Labanca, de Foz, da Jaqueline Vieira, londrinense que recentemente também publicou com a gente o ensaio sobre a ocupação “Flores do Campo”, tratando do direito à moradia popular. E, finalmente, do carioca Moskow, que dá brilho às páginas centrais da revista.

Páginas centrais – Moskow iniciou na fotografia pelo fotojornalismo e  trabalhou para veículos da grande imprensa brasileira, norte americana  e europeia. Hoje, com mais de duas décadas de atividade, fotografa desde grandes editoriais de moda a esporte e, finalmente, produz fotos autorais, embasado na ideia de que precisamos de mudanças no modo de existir da Humanidade.  Tem uma ligação afetiva com Foz do Iguaçu por conta de parentes que vivem na cidade. Foi através de uma irmã é que sua arte chegou às paginas da Escrita. Ele também faz incursões pela poesia e um pouquinho disso também é mostrado na revista. Uma belíssima colaboração, sem dúvida.

 

 

Entre os fotógrafos chamados amadores estão Luana Luz, Bruna Carvalho, João Otávio, Manuella Sampaio e Mariana Baez Coronel. Com equipamentos os mais variados, que vão de celulares a máquinas mais requintadas, eles mantém o espírito da revista, que é canalizar a expressão de todas as pessoas que têm algo a nos contar.

Ainda entre as produções na seção Olhos, temos os traços dos ilustradores Lalan Bessoni (São Paulo), Natalia Gavotti (argentina que trabalha em Curitiba), Frankie Olive (estudante de antropologia da Unila) e Dieguito, na fronteira entre o Paraguai e o Brasil.

 

Buenas palabras – Douglas Diegues volta à revista Escrita. É del poeta brasilero mais paraguaio que se tem notícia o poema em “portunhol selvage” que abre a revista. “…mudar mudar mudar / relutar renovar ousar / injectar nuebíssimo ar / encontrar antes mismo de buscar.” diz ele.

Ainda com sotaque portunhol, o ator e professor argentino de língua portuguesa em Missiones, Danilo Iván, nos brinda com uma coleção de poemas que ressaltam traços da língua e experiência guarani em nossa região trinacional. Também nesta vertente, a poética de Giane Lessa nos eleva o destino de estar na fronteira dos países, da poesia, da fantasia e realidade.

“Olhos e Palavras”: fotografias de João Octávio Lourenço e poema de Cleonice Marçal.

E valorizando a palavra contida na existência da terra de fronteira, Escrita 48 tem um pouquinho de muitas linguagens e temáticas que iguaçuenses cultivam e elaboram. Publicamos o conto inédito do jornalista Aluízio Palmar, datado no longínquo 1958, com ilustração feita pelo autor adolescente à época e tudo. Ainda na prosa, o músico Julio Fornari, a microempresária Vivien de Lima e a a atleta Indiamara Oliveira se arriscam por comentários e diálogos sobre o cotidiano e o resto de nossas vidas no dia a dia. A esses escritos, somam-se os poemas das iguaçuenses (postiças ou não) Cleonice Marçal, Júpiter e Josiane Boucinha.

É Josiane, bacharel em História e comerciária, que comenta a participação na revista. “É uma grande honra ter uma publicação nesta revista que acho sensacional, que nos inspira com seus inscritos, traz a cultura à fronteira e para dentro dos nossos corações. Escrita nos dá o prazer de compartilhar um pouco de nós com as outras pessoas.”

De longe –  Mas Escrita 48 tem a marca da diversidade. E é de um outro ponto do mapa, da gaucha Porto Alegre que Alissa Gottfried, ativista cultural, nos envia o poema/ensaio “Tratado da Arte Profunda”. Também é de longe e em forma de poema a participação de Raphael Rodrigues, técnico em reciclagem paulistano, e de Andrea Palmar de Almeida, de Assunção, PY.

Por último e referendando a ideia da Guatá de que todo leitor é uma espécie de correia de transmissão do estímulo à expressão verbal, uma pequena história de como esse fenômeno acontece e acomete as páginas da Guatá positivamente. Rebecca Nora, música e estudante de Serviço Social no Rio de Janeiro, participou de um evento sobre Cultura na Unila, onde conheceu presencialmente a banca da Guatá. Na época, levou uma coleção de folheteria literária e exemplares da revista para distribuir entre seus amigos no Rio de Janeiro. Passado algum tempo, Rebecca reuniu a poemas de sua autoria os escritos de mais duas cariocas como ela, Sofia Alves e AnaiLuJ, e enviou para o conselho editorial da Escrita. E assim a edição 48 ganhou novas amigas autoras/leitoras.

COMENTÁRIO DE REBECCA NORA: “Nãooo, eu nunca tinha publicado poesia, só artigo acadêmico. Tô me sentindo muito feliz!! A revista é muito maravilhosa e poder fazer parte dessa construção é muito gratificante. Eu enviei porque eu acredito no poder de transformação da arte, e a revista é um espaço privilegiado para tocar as pessoas. Quanto às minhas amigas eu chamei porque acho que uma oportunidade de parceria dessas não pode passar assim, divulgar informação é uma coisa que eu defendo muito também, então não tinha porque não construir essa ponte. Especialmente minha amiga Sofia eu chamei pois acredito muito nela, se eu escrevo hoje em grande parte é por causa dela, acho que ela é uma daquelas pessoas que tem um futuro maravilhoso pela frente, ela escreve genialmente desde o ensino médio e, enfim. Não imaginava um mundo onde uma oportunidade dessa existisse e ela não fizesse parte.”

 

Aqui, todos os nomes dos que colaboram na edição 48 de Escrita:

PALAVRAS – Alissa Gottfried, Aluízio Palmar, AnaiLuJ, Andrea Palmar de Oliveira, Áurea Cunha, Cleonice Marçal, Danilo Iván, Douglas Diegues, Giane Lessa, Indiamara Oliveira, Josiane Boucinha, Julio Fornari, Júpiter, Karina Moschkowich, Moskow, Paulo Bogler, Raphael Rodrigues, Rebecca Nora, Sofia Alves e Vivien Lima.

OLHOS – Áurea Cunha, Bruna Carvalho, Dieguito, Frankie Olive, Jaqueline Vieira, João Otávio Lourenço, Manuella Sampaio, Marcos Labanca, Mariana Baez Coronel, Moskow, Natália Gavotti.
___________________________________
Guatá/Silvio Campana

468 ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *