subscribe: Posts | Comments

leader

Pra dentro, vertigem

0 comments

Um poema de Bia Cyrino

Um súbito desponto
Um improviso insólito
Anda pelas beiradas,
De um precipício ativo,
Cérebro alarmante
De couraças reluzentes
Num diz que diz de incertezas
Cruéis friezas
Que despontam entre os astros
Minha e tua realidade
Tristeza,
Infinito decadente
Descaso do ocidente
Num acaso arranjado, mareado,
Final de tarde preguiçoso,
rançoso,
Igual e meramente
Um improviso insólito, calado
Pra dentro, vertigem
Pra fora, viagem.

______________________
Bia Cyrino é professora universitária e coordenadora do curso de Música da Unila em Foz do Iguaçu, Pr. Extraído do blog da autora “A minha arte sou eu”

468 ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *