subscribe: Posts | Comments

leader

Vida na tela

0 comments

Estreia segunda temporada da websérie “Histórias da Grande Reserva Mata Atlântica”. Com dez episódios, roteiro traz personagens marcantes, espécies raras e iniciativas que fazem do bioma um verdadeiro patrimônio natural e cultural

O primeiro episódio da segunda temporada da websérie Histórias da Grande Reserva Mata Atlântica já pode ser conferido no canal do YouTube e na página do Facebook da iniciativa. Ao todo, a temporada contará com dez episódios que serão lançados semanalmente aos domingos. Com duração entre 5 e 10 minutos, cada vídeo tem como objetivo fomentar o interesse local, nacional e internacional no maior remanescente contínuo do bioma e divulgar a rica história natural e cultural da região.

A iniciativa da Grande Reserva Mata Atlântica se baseia no conceito de “Produção de Natureza”. O trabalho busca valorizar as ações de conservação que geram oportunidades para o desenvolvimento regional, onde áreas naturais bem conservadas, a biodiversidade exuberante e a cultura local são meios para novos empreendimentos, geração de emprego e renda para as populações locais.

O responsável técnico da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), Ricardo Aguiar Borges, que está à frente da iniciativa, explica que essa área abrange o último grande remanescente contínuo do bioma, com quase 2 milhões de hectares bem conservados. “A nossa história foi construída na Mata Atlântica e ela é testemunha do desenvolvimento da nossa nação, abrigando algumas das maiores cidades brasileiras, como Curitiba e São Paulo. O remanescente do bioma é uma grande área produtiva que nos protege contra as mudanças climáticas e garante nossa segurança econômica, nossa saúde e bem-estar. Na websérie tentamos mostrar a riqueza natural e cultural desta região a partir dos relatos de pessoas reais, que vivem aqui e nos inspiram com suas histórias”, ressalta.

Making-off da gravação na Ilha do Cardoso, em São Paulo.
Foto: Ana Carolina Franken

Nesta temporada, a fauna é o tema do primeiro episódio tendo como protagonista a onça-pintada (Panthera onca). Atualmente classificada como “vulnerável” pelo Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção de 2018, elaborado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a onça-pintada é o maior mamífero do continente americano e conta com registros recentes na região da Serra do Mar paulista e paranaense, o que indica o bom estado de conservação desse local.

Um dos destaques da temporada é o episódio que conta um pouco da história e das tradições dos índios guarani mbyá, da aldeia Pindoty, que vivem na Terra Indígena Ilha da Cotinga, em Paranaguá, no litoral do Paraná. O jornalista e filmmaker do projeto, Gabriel Eloi de Marchi, descreve a experiência de sair do ambiente urbano para uma imersão na Mata Atlântica como nova e desafiadora. “Todas as histórias e locais que conhecemos estão no ‘quintal’ da nossa casa e eu simplesmente não fazia ideia do quanto é incrível. Sem dúvida a nossa visita à comunidade indígena me marcou muito. Foi como se estivéssemos sendo transportados para outro mundo em menos de 30 minutos, de barco”, explica Marchi.

Ilha do Mel – Foto Samanta Carvalho

Também serão contadas histórias de personagens como Henrique Paulo Schmidlin, conhecido como Vitamina, de 87 anos, que é um dos precursores do montanhismo paranaense e praticante ativo até hoje, e de empreendimentos como a Cave Colinas de Pedra, área de 45 hectares localizada a dez quilômetros do Pico Marumbi e nos fundos da Estação Ferroviária de Roça Nova, no município de Piraquara, destinado ao processo de maturação de vinhos espumantes. Além disso, unidades de conservação como o Legado das Águas, a maior reserva privada da Mata Atlântica, a Estação Ecológica de Jureia-Itatins e o Parque Estadual da Ilha do Cardoso, em território paulista, além da Ilha do Mel e da baía de Guaratuba, no Paraná, também marcam presença nesta temporada da websérie.

A primeira temporada, lançada no início do ano, contou com dez episódios e atingiu uma marca de mais de 155 mil visualizações e aproximadamente 500 mil interações, apenas no Facebook. Além da SPVS, a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza é parceiro direto dessa iniciativa.

_________________________
Assessoria

468 ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *