subscribe: Posts | Comments

leader

A palavra é saúde

0 comments

Fundação Almiron-Bonnin realiza oficina literária em hospital pediátrico no Paraguai.

A linguagem escrita ocupa o tempo e a imaginação das crianças, além de promover a cultura e descobrir novos escritores nacionais.

A Fundação Almiron – Bonnin criou oficina literária em parceria com a escritora e jornalista Jullianna Barreto e grupo de autores paraguaios. A atividade é realizada no Hospital Pediátrico Acosta Ñu na cidade de San Lorenzo, no Paraguai.

A oficina literária é voltada para crianças e adolescentes que estão hospedadas no albergue daquele hospital. E serve para expressar sentimentos, emoções e repassar aos seus futuros leitores através da redação de histórias ou autobiografias.

No primeiro encontro, eles tiveram as ferramentas necessárias para elaborar as descrições dos personagens além do mais abordar emoções, valores e situações que desejam expressar.

A autobiografia é uma forma particular de narrativa cujo conteúdo é diferente do conteúdo de outros tipos de discursos, possui uma estrutura, temas, e um conflito real” , diz a escritora e jornalista Jullianna Barreto

“Os adolescentes terão em suas mãos folhetos para começar a escrever sua autobiografia, para isso terão a noção de como organizar ideias e poder escrevê-las, transmitindo descobertas e fatos da vida real e logo a edição de um livro com um lançamento ao público apoiado pela Fundação Almiron-Bonnin e Héroes V. Cáncer”, explica Jullianna Barreto.

São fornecidos meios para cativar e atrair a criança para a aprendizagem de valores; além disso, várias estratégias são usadas para usá-las em crianças que buscam melhor exercitar seu vocabulário, entretenimento, imaginação e ensinar padrões de vida, novas ideias aplicadas em a operação em valores.

“Além disso, uma melhor compreensão da leitura acumula seu vocabulário, estimula a leitura, sua prática e capacidade de entender e explicar, capacidade de narrar”, acrescenta a escritora e jornalista.

O escritor José Monnin, que faz parte da equipe do projeto, declarou: “Visitar o Hospital Pediátrico de Acosta Ñu despertou mais uma sensação, pois passava a maior parte do tempo escrevendo e lendo. Este projeto aumentou minhas experiências no caminho literário e pessoal” (Fotos: divulgação)

Para o desenvolvimento deste projeto a Fundação Almiron-Bonnin, as famílias e a coordenadora do projeto, Jullianna Barreto, conta com o apoio de uma equipe de escritores paraguaios.

O projeto promoverá o interesse em ler e expressar sentimentos, recordar bons momentos e projetar um novo futuro.

________________________
Assessoria / Jullianna Barreto

468 ad

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *